RIO DE JANEIRO, RJ - 30.10.2016: ELEIÇÕES-RIO - Marcelo Crivella (PRB) foi eleito prefeito do Rio. Com 99,96% das urnas apuradas, ele somava 59,4% dos votos, contra 40,6% de seu adversário, Marcelo Freixo (PSOL). (Foto: Ricardo Borges/Folhapress)

Por Painel

Após a vitória no Rio, Marcelo Crivella pode ser a aposta de líderes evangélicos para a disputa presidencial de 2018, nem que seja para testar seu nome no eleitorado nacional. “Chegará o momento em que o Brasil terá um presidente evangélico. É natural”, diz o bispo Robson Rodovalho, presidente da Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil e coordenador de candidaturas pentecostais e neopentecostais de diferentes denominações para formar a base desse projeto político.

Robson Rodovalho acompanhou 100 candidatos evangélicos, entre prefeitos e vereadores, e elegeu 62 deles. “Hoje a Universal e Assembleia de Deus caminham juntas em nome de um projeto maior”, disse o Bispo da igreja Sara Nossa Terra.

O bispo começa a desenhar plano semelhante para o Congresso, em 2018. Quer chegar a pelo menos 150 parlamentares. “O projeto de poder é sermos representados e que vejam que a igreja evangélica tem como contribuir com grandeza e altruísmo. ”

Da Redação

Delmo Menezes
Gestor público, jornalista, secretário executivo, teólogo e especialista em relações institucionais. Observador atento da política local e nacional, com experiência e participação política.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here