Artigo: Vermelhou o curral

Manifestantes pró Lula em frente ao TSE. Foto: Reprodução

Por Raimundo Feitosa*

Vermelhou o curral. Era o que dizia uma música que tocava, enquanto os manifestantes pró lula rumavam ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em Brasília, para acompanhar o registro da candidatura do condenado ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

É louvável a iniciativa de manter viva a história de um “herói popular” que emergiu do povo e foi eleito, após uma candidatura messiânica, com a expectativa de ser o salvador da pátria. Há quem considere seus governos (dois mandatos) excelentes, e quem os considere uma tragédia para o País. Sem entrar no mérito da questão, devo dizer que é inegável que o Lula tenha méritos e que sua popularidade, não fosse a condenação que o mantém na cadeia (culpa dele), poderia levá-lo de volta ao palácio.

Mas…

A julgar pela realidade política atual, me parece que toda a mobilização do Partido dos Trabalhadores em torno do nome de Lula é inútil. Quando vejo o PT, que sofreu o “golpe” (segundo eles) do então vice-presidente Michel Temer, apresentar logo dois vices para a chapa de Lula, não tenho dúvidas de que o registro da candidatura é uma encenação, talvez a última dessa novela.

Para quem pensava que a prisão de Lula iria alavancar sua candidatura, o tiro saiu pela culatra. Ao que tudo indica o velho vai continuar preso e o PT vai perder as eleições porque não tem plano B, ou melhor, não tem plano algum.  Mas não disseram isso para os militantes. Preferiram mobilizar gente do Brasil inteiro a um alto custo, pago, sabe-se lá por quem, para alimentar uma encenação que não leva a lugar algum.

Reconheço que a mobilização foi bonita, pacífica e democrática. A única coisa que não ornou foi a música de Chico da Silva que diz no refrão: “Vermelhou o curral. A ideologia do folclore vermelhou! Vermelhou a paixão. O fogo de artifício da vitória vermelhou”.

Olhando de cá, parece uma combinação quase perfeita.

A cor combina (vermelho)

A ideologia combina (esquerda)

A paixão combina (partidária)

O fogo de artifício combina (festa)

O curral…

Bem, o curral eu deixo pra que vocês digam se combina ou não.

Mas eu ainda acho que é melhor o PT esquecer as mágoas e apoiar outro candidato.

*Raimundo Feitosa – Jornalista, teólogo, escritor e colunista do Agenda Capital

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here