DF registra terceira morte por dengue hemorrágica

Vítima estava internada na UTI do Hospital Anchieta, em Taguatinga. Moradora de Brazlândia, ela deu entrada com sintomas da dengue clássica

A dengue pode ter causado a terceira morte na capital federal este ano. A família de Erotides Dias da Costa, 61 anos, morador da zona rural de Brazlândia, afirma que o homem morreu em decorrência de complicações da forma hemorrágica da infecção. Nas redes sociais, o filho, Evandro Mendes e a nora, Cidalina Cardoso, compartilharam mensagens lamentando a perda do parente.

Erotides era servidor público aposentado e estava internado há dois dias na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Anchieta, em Taguatinga Sul. Segundo familiares, ele teve uma parada cardíaca na madrugada desta sexta-feira (12/2) e a equipe médica não conseguiu reanimá-lo.

“Ele se sentiu mal na semana passada e logo os médicos o diagnosticaram com dengue. Ontem, ele desmaiou no quarto e no banheiro do hospital. Durante todo tempo ficou a base de soro e medicação para dor abdominal”, contou a nora de Erotides, a jornalista Cidalina Cardoso, 28 anos.

O corpo do aposentado será levado ainda esta tarde para o Hospital de Base (HBDF)  onde será realizados exames complementares para comprovarem a causa da morte. “No documento do hospital (Anchieta) consta hemorragia não identificada, mas ele fez todo o tratamento para dengue”, explicou Cidalina.

Brazlândia é a cidade do Distrito Federal com o maior número de casos confirmados de dengue – são 301 notificações, 28% do total do DF. Lá moravam as duas pessoas mortas em função de dengue hemorrágica. Uma delas é Maria Cristina Santana Natal, cunhada do vice-governador, Renato Santana.

A Secretaria de Saúde informou, em nota, que a Diretoria de Vigilância Epidemiológica ainda não recebeu a notificação do óbito. Segundo a pasta, o prazo obrigatório da unidade de saúde  é de até 24h.

Fonte: Correio Braziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here