Distritais rejeitam candidatura de Cláudio Abrantes para a presidência da CLDF

Deputado distrital Cláudio Abrantes. Foto: Reprodução

Por Toni Duarte

A proposta do deputado distrital reeleito Cláudio Abrantes (PDT), de acabar de vez com a verba indenizatória, abriu um processo de fritura de sua candidatura à presidência da Câmara Legislativa. A eleição da nova Mesa Diretora ocorrerá no início do próximo ano. A maioria dos 24 deputados distritais, entre os eleitos e reeleitos, reage silenciosamente contra o fim da ajuda de custo para o desenvolvimento do mandato parlamentar.

De acordo com o blog Radar DF, o deputado Cláudio Abrantes, aliado de primeira hora de Ibaneis Rocha (MDB), teria prometido ao novo chefe do Executivo local, que toma posse no dia 1 de janeiro do próximo ano, o seu compromisso de acabar de vez com a verba indenizatória. A contrapartida seria o empenho de Ibaneis para que o faça vencer a disputa da presidência da Câmara Legislativa.

No entanto, a maioria dos deputados distritais, entre os eleitos e os reeleitos, discorda de qualquer tipo de interferência do governador eleito na escolha da nova mesa diretora da Câmara.

Sobre o fim da ajuda de custo, a maioria dos distritais sondados pelo Radar, afirma que ficaria em desigualdade no que diz respeito a manutenção do mandato popular, nas comunidades que foram eleitos, em relação aos deputados que comporão a mesa diretora e as presidências das comissões permanentes da Casa.

“O governador eleito pode até conversar com um ou outro parlamentar, mas isso não significa que ele tenha o condão de cooptar o meu  voto, por exemplo”, disse um deputado reeleito que pediu para não ter o nome mencionado.

Apesar de ter usado a verba indenizatória durante todo o seu mandato, Cláudio Abrantes fez campanha declarada para extinguir a ajuda de custo criada por lei.

Em uma página eletrônica mantida pelo  pedetista ele diz que a proposta “é um avanço e uma resposta da Câmara aos pedidos da população, além de um exemplo para o Brasil”.

O projeto de extinção da verba indenizatória foi colocada em votação no início do ano durante quatro sessões, mas não conseguiu ser aprovada na sua forma original por falta de quórum.

O máximo que ocorreu foi uma redução no valor da verba aprovada em maio passado.

O fim da verba indenizatória nunca foi do interesse dos parlamentares, seja dentro do Congresso Nacional, nas assembleias legislativas ou câmaras municipais. “Aqui não é diferente”, disse um deputado petista.

A proposta de acabar com a ajuda de custo repercutiu negativamente entre os distritais. “Se a medida de Abrantes agrada o aliado Ibaneis Rocha, que vai economizar no repasse, a medida desagrada os deputados que tem o poder de escolher o novo presidente da Casa”, afirmou outro distrital abordado pelo Radar.

Integrantes de alguns blocos partidários, que se formam para a disputa da próxima mesa diretora, confidenciam nos bastidores que Abrantes será uma carta fora do baralho na eleição interna da Câmara Legislativa se insistir com tal ideia.

Da Redação com informações do blog Radar DF

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here