Reparos de diferentes dimensões foram feitos em todas as 42 escolas de Samambaia | Fotos: Lúcio Bernardo Jr / Agência Brasília

Decisão da justiça dá 5 dias para o GDF apresentar plano para reabertura das escolas 

Por Redação 

A Vara da Infância e da Juventude do Distrito Federal (VIJ-DF) determinou, nesta sexta-feira (23), o retorno das aulas presenciais na rede pública da capital em até 20 dias. De acordo com a decisão, o Governo do Distrito Federal tem cinco dias para apresentar um plano para a retomada.

Até a última atualização desta reportagem o GDF não havia comentado a determinação. No começo de outubro, o secretário de Educação, Leandro Cruz, disse que as escolas públicas só retomariam as atividades presenciais em 2021.

As aulas presenciais nas escolas públicas estão suspensas desde 12 de março devido à pandemia do novo coronavírus. O ano letivo foi retomado em julho, com videoaulas e a entrega de material impresso aos estudantes que não possuem internet ou equipamento eletrônico necessário para as atividades remotas (relembre abaixo).

A decisão é assinada pelo juiz Renato Scussel, em processo no qual o Ministério Público do Distrito Federal e o GDF debatiam a retomada das aulas. Ao decidir sobre o tema, o juiz cita que as aulas já foram retomadas na rede privada, além de outras atividades econômicas.

“[…] as escolas particulares já foram reabertas e retornaram às suas atividades bem como o comércio, os locais de cultos religiosos e há autorização para a realização de espetáculos públicos, não sendo justo e nem tampouco lícito que, num país carente de educação, as crianças e adolescentes que utilizam o sistema público de ensino sejam tolhidos no seu direito precípuo de educação”, afirmou o magistrado.

O juiz ainda destacou artigos da Constituição Federal que garantem o direito à educação. “Sob este enfoque, o direito visa a uma prestação de fazer do Estado para que seja garantida a retomada das aulas presenciais para todas as crianças e adolescentes da rede pública de ensino do Distrito Federal, assegurando-lhes o direito precípuo de educação”, disse.

Impasse

Em julho, a Secretaria de Educação chegou a anunciar um calendário de retomada das atividades presenciais, que teria início em 31 de agosto. Alguns dias antes da data, porém, a pasta suspendeu a medida por tempo indeterminado.

Já nas escolas particulares, as aulas foram retomadas em 21 de setembro, após acordo entre o sindicato representam os professores, as empresas e o Ministério Público do Trabalho.

No início de outubro, o secretário de Educação, Leandro Cruz, afirmou que as aulas presenciais só seriam retomadas no próximo ano.

“Vamos garantir também, para que em 2021, quando retornarmos às aulas de forma presencial, a gente retorne com segurança. O novo normal que está aí, ele vai permanecer. O hábito de lavar as mãos, de higienizar as escolas, de ter uma rotina mais cuidadosa”, disse Leandro.

Com informações do G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here