Ministério da Saúde faz doação de insulina à Síria

MS faz doação de Insulinas a Síria. Foto: Reprodução

Medicamento será destinado para tratamento de refugiados com Diabetes

Por José Miguel Vidal Júnior

O Ministério da Saúde, por intermédio do Departamento de Assistência Farmacêutica (DAF/SCTIE/MS) doou, à República do Líbano, 44 (quarenta e quatro mil) doses de duas variedades de insulina humana (NPH e regular) em caráter de ajuda humanitária, para atender os milhares de refugiados sírios que se encontram naquele país. A ação é determinante para atender uma parcela da população que se encontra em situação de eminente de perigo de morte, já que grande parte dos refugiados não tem como arcar com os custos de tratamentos para doenças crônicas.

O medicamento foi levado pela fragata Independência da Marinha do Brasil, integrante da Força Interina das Nações Unidas no Líbano, que partiu da Base Naval do Rio de Janeiro, no último dia 28 de janeiro. As ações de cooperação humanitária internacional para doação e recebimento de medicamentos são coordenadas entre o Ministério da Saúde e a Agência Brasileira de Cooperação (ABC/MRE).

A DOENÇA

Diabetes Mellitus é uma doença caracterizada pela elevação da glicose no sangue (hiperglicemia). Pode ocorrer devido a defeitos na secreção ou na ação do hormônio insulina, produzido no pâncreas, pelas chamadas células beta. A função principal da insulina é promover a entrada de glicose para as células do organismo de forma que ela possa ser aproveitada para as diversas atividades celulares. A falta da insulina ou um defeito na sua ação resulta em acúmulo de glicose no sangue, o que chamamos de hiperglicemia

COOPERAÇÃO HUMANITÁRIA

A cooperação humanitária realizada pelo Brasil contribui para apoiar outros países em situação de necessidade emergencial. As doações não privam os brasileiros do direito ao acesso a medicamentos, que são doados apenas se não comprometer o abastecimento nacional.

O Brasil também é grande receptor de doações de medicamentos em situações emergenciais de desabastecimento. Além do dever moral de auxiliar países e pessoas em situação de necessidades básicas de saúde, as ações de cooperação humanitária também reforçam o compromisso institucional que o Brasil tem com a cooperação internacional, princípio consagrado na Constituição brasileira.

Da Redação do Agenda Capital / Assessoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here