Dilma vai exonerar ministros logo após decisão do Senado

reuniao-ministerial-elza-fiuza-agencia-brasil1..A presidenta Dilma Rousseff decidiu exonerar sua equipe ministerial assim que os senadores encerrarem a votação sobre o processo de impeachment contra ela, caso decidam por seu afastamento.

Se o plenário do Senado acatar a admissibilidade do processo, Dilma será afastada do cargo por 180 dias e o governo será assumido pelo vice-presidente da República, Michel Temer.

Leia mais

Gim e mais oito investigados viram réus na Lava Jato

gim argelloO juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, recebeu hoje (10) a denúncia feita pelo Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-senador Gim Argello (PTB-DF) e mais oito pessoas. O ex-senador foi preso no mês passado durante a 28º fase da Operação Lava Jato.

Além de Gim Argello, o juiz acatou a denúncia do MPF contra Dilson de Cerqueira Paiva Filho, Jorge Afonso Argello Júnior, José Adelmário Pinheiro Filho, Paulo César Roxo Ramos, Ricardo Ribeiro Pessoa, Roberto Zardi Ferreira, Valério Neves Campos e Walmir Pinheiro Santana.

Leia mais

Provável “primeiro escalão” de um eventual governo Temer (atualizado 15h)

Por Delmo Menezes

Dada como certa a saída da presidente Dilma Rousseff nesta quarta-feira (11), até mesmo por setores do governo, o vice-presidente Michel Temer, teve nos últimos dias, muita dificuldade em reduzir o número de ministérios.

Michel-Temer.,.Interlocutores próximos a Temer, informaram que alguns nomes tidos como certo para o primeiro escalão, ficaram de fora, em virtude da diminuição do número de ministérios. São muitos aliados, pra poucas vagas, informaram assessores.

Leia mais

PP quer aprovar suspensão temporária e expulsão de Maranhão, mesmo após revogação

waldirnovaA Executiva Nacional do Partido Progressista (PP), pretende manter a decisão de aprovar na tarde desta terça-feira (10), a suspensão cautelar (temporária) do presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), mesmo após o deputado ter revogado ato em que anulou a sessão na qual a Câmara aprovou o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Leia mais

O cristão em meio à crise

Emanuele Caroline

o cristão e acriseDesemprego crescente, inflação, juros altos, falência do sistema político e econômico, falta de credibilidade, corrupção desenfreada, processo de impeachment da presidente do Brasil, terrorismo e a vinda de refugiados de guerra e catástrofes. Todos esses fatores têm trazido pânico à população.

A crise tem sido uma das palavras mais pronunciadas nos últimos anos, não só pelos brasileiros, mas pelos cidadãos do mundo todo. A verdade é que se fizermos um balanço dos últimos anos, chegaremos à conclusão que o mundo vive um dos piores momentos de toda a história.

Leia mais

Para não ser cassado, Waldir Maranhão decide voltar atrás e revoga sua própria decisão

waldirnovaO presidente interino da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), resolveu voltar atrás, e revogar sua própria decisão de suspender o processo de impeachment da presidente Dilma.

Foram feitos dois documentos. O primeiro endereçado a própria Câmara, onde Maranhão havia deliberado que fossem anuladas as sessões dos dias 15, 16 e 17 de abril de 2016. O segundo, foi um ofício endereçado ao presidente do Senado Renan Calheiros, trazendo a mesma redação. O documento já está pronto, assinado, faltando apenas publicação.

Leia mais

Votação do impeachment está marcado para quarta-feira (11) diz Renan

A sessão está marcada para as 09h de quarta-feira (11) pelo presidente do Senado, Renan Calheiros. Votação deve durar 10h, estimam especialistas.

Renan-calheiros-presidente-senadoDepois de um dia tenso, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), confirmou nesta segunda-feira (9), que a sessão para votar o afastamento da presidente Dilma Rousseff começará na quarta-feira (11), a partir das 9 horas. Ele anunciou que a partir das 15 horas abrirá o livro para que os senadores se inscrevam para falar a favor ou contra a instauração do processo contra a petista por crime de responsabilidade.

Leia mais

Flávio Dino, governador do Maranhão elogia decisão do presidente interino da Câmara

flávio dino e waldor maranhãoApontado como possível mentor político do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB-MA), classificou como “natural” que o deputado, na condição de representante maranhense na Câmara, peça sua opinião sobre temas relevantes.

As mensagens publicadas por Dino minutos após a decisão do deputado de anular as sessões em que os deputados federais decidiram, por ampla maioria, acolher e dar prosseguimento a um dos pedidos de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, sugerem que Maranhão acolheu os argumentos de Dino, com quem se reuniu nos últimos dias. Desde o início do processo, o governador se posicionou contrário ao impeachment da presidenta, tendo inclusive mobilizado os governadores nordestinos para defender o mandato de Dilma.

Leia mais

Reviravolta no processo de impeachment. Waldir Maranhão anula votação

Waldir Maranhão (PP-MA) acolheu pedido da Advocacia-Geral da União e decide anular votação do impeachment

waldirnovaO presidente em exercício da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), decidiu nesta segunda-feira (9) anular a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, ocorrida no dia 17 de abril. Ele acolheu pedido feito pelo advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo.

O deputado Waldir Maranhão (PP-MA), que substituiu Eduardo Cunha na presidência da Câmara na semana passada depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu afastar o peemedebista do comando da casa legislativa, marcou uma nova votação do pedido impeachment para daqui a 5 sessões do plenário da Câmara.

Leia mais