Passo a passo do senador Reguffe para apoiar candidatos

Senador Antônio Reguffe. Foto: Reprodução

A lista de exigências é bastante extensa. Será que o senador vai encontrar algum candidato que atenda o protocolo na íntegra?

 Por Ana Maria Campos via Contexto Exato

Procurado por vários pré-candidatos que querem tê-lo como aliado nas próximas eleições, o senador José Antônio Reguffe (Sem partido) elaborou uma lista de exigências em troca de apoio. Nenhuma condição está relacionada a interesse pessoal. Todas são vinculadas a como o campeão de votos do DF enxerga um mandato ético e dedicado ao contribuinte. Para quem está acostumado à política tradicional, pode parecer impossível se adequar, mas Reguffe praticou todas em seus mandatos como deputado distrital, federal e nos três anos até agora como senador. “O mandato é muito mais do que isso, mas é preciso assumir uma pauta de compromissos mínimos”, justifica o senador, que teve 826.576 votos em 2014, o correspondente a 57,61% do eleitorado.

  1. Corte de gastos com pessoal

Para declarar apoio a candidatos à Câmara Legislativa ou à Câmara dos Deputados, Reguffe quer compromisso de que, assim que for eleito, o deputado distrital vai reduzir de 28 assessores de gabinete para apenas nove. O parlamentar terá também de cortar para menos da metade a verba de gabinete disponível, que hoje é de cerca de R$ 170 mil.

  1. Independência em relação ao Executivo

O candidato terá também de se comprometer a cumprir o mandato inteiro, sem licenças para assumir cargos no governo. Nem vai dar para driblar essa exigência. Quem quiser o apoio de Reguffe terá também de prometer que não indicará nenhum comissionado no próximo governo a ser eleito. Precisa garantir que exercerá o mandato com independência total em relação ao Executivo, comprometido com o eleitor.

  1. Contra aumento de impostos

O integrante da bancada de Reguffe também terá de assegurar previamente que jamais votará a favor de qualquer aumento de impostos ou de medida que amplie a carga tributária. Se o governo tiver de fazer ajuste fiscal, que seja por meio de corte de gastos, que será apoiado pelo parlamentar.

  1. Fim da verba indenizatória

Deputados terão também de abrir mão da verba indenizatória e os federais, que têm direito a salários extras quando assumem o mandato, não poderão receber.

Emendas para saúde, segurança e educação

Todas as emendas parlamentares terão de ser exclusivas para as áreas de saúde, educação e segurança. Nada de destinação de recursos para shows ou outros eventos dessa natureza, por exemplo.

  1. Contra viagens pagas

Outro compromisso da pauta de Reguffe: o político não poderá fazer viagens em missões nacionais ou internacionais com passagens e diárias pagas com recursos públicos, nem a convite de instituição privada que possa exercer alguma influência em votações. Em quatro anos como distrital, quatro como federal e três como senador, Reguffe nunca viajou.

Pauta popular

Com tantas exigências, será que alguém vai topar? Mas foi com essa pauta que Reguffe se tornou popular. Nas próximas eleições, ele não deverá disputar nenhum cargo público. Não faltam convites para que concorra a cargos de governador ou até a presidente da República, mas ele garante que vai exercer o mandato de senador até o último dia.

Da Redação com informações da Coluna Eixo Capital

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here