Sociedade Entorpecida

Jornalista, escritor e delegado de polícia civil, Miguel Lucena

Por Miguel Lucena*

Muitos dos casos que vão parar nas delegacias de Polícia se relacionam a comportamentos desviantes causados por distúrbios não tratados. São pessoas atormentadas que, por um motivo ou outro, pararam de tomar as cinco tarjas pretas receitados pelo psiquiatra.

Perdi os freios sociais, delegado. Agora, estou bem – justificou a investigada, abrindo a bolsa e mostrando as caixas de psicotrópicos que equilibram seu comportamento.

Há uma multidão de desesperados fingindo normalidade, mas mergulhada no consumo de drogas lícitas e ilícitas.

O registro nacional de fornecimento de medicamentos controlados aos usuários saltou de pouco mais de 113 mil caixas, em 2009, para quase 295 mil em 2014. O aumento foi de 161%, informa o site Huffpost Brasil.

O Brasil passou a consumir mais álcool que a média mundial, segundo Relatório Global sobre Álcool e Saúde, da Organização Mundial de Saúde (OMS), publicado em maio de 2014.  Setenta e oito por cento dos jovens brasileiros, bebem regularmente e 19% deles já são dependentes do álcool.

Os brasileiros lideram o consumo de Rivotril (ansiolítico da classe dos benzodiazepínicos) e ficam em segundo lugar em Ritalina (anfetamina usada no tratamento do chamado déficit de atenção com ou sem hiperatividade), uma droga que está transformando nossos estudantes em seres anestesiados, alheios à realidade.

O Brasil é o segundo maior consumidor de cocaína e derivados, atrás apenas dos Estados Unidos, de acordo com o segundo Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), feito pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Vamos acordar, minha gente! A felicidade pode estar em um grão de mostarda que ainda não conseguimos enxergar.

*Miguel Lucena é Delegado de Polícia Civil do DF, jornalista e poeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here