H1N1 chega a Águas Claras: escola tem 2 casos; sobe para 9 total no DF

Foto: Reprodução

Escola Arara Azul teve duas ocorrências do vírus. Sete episódios foram registrados antes, em Taguatinga e Ceilândia

 Por Freddy Charlson

A escola Arara Azul, em Águas Claras, divulgou nota nesta segunda-feira (1°/10) em que comunica o registro de dois casos do vírus H1N1 no Infantil V. De acordo com a direção, os pais dos alunos que apresentaram sintomas da doença também foram informados para buscarem meios de confirmar ou não a contaminação.

A direção afirmou, ainda, que entrou em contato com a Secretaria de Saúde, por meio da Subsecretaria de Vigilância Epidemiológica, para saber como proceder em relação à proteção das crianças e ao surgimento de novos casos.

Foi decidido, também, que não haverá aulas nestas terça (2) e quarta-feira (3) na instituição, por motivos de desinfecção geral do ambiente, a qual contará com a participação de todos os funcionários. A escola tem 720 alunos de 0 a 6 anos.

As duas novas ocorrências, observadas na escola de Águas Claras, somam-se a outros sete casos registrados desde a última sexta-feira (28/9) em instituições de ensino do Distrito Federal, o que tem assustado os pais de alunos. Houve pelo menos sete notificações de infectados na última semana: três no Colégio Ideal, em Taguatinga, três no Serviço Social do Comércio (Sesc-DF) em Ceilândia, além de outra criança, de apenas 3 anos, que foi diagnosticada com a gripe em um hospital particular em Taguatinga.

O Colégio Ideal até soltou um comunicado nesse domingo (30) para informar que três alunos da instituição de ensino foram diagnosticados com H1N1. Em texto direcionado aos pais e responsáveis, a escola disse que recebeu os laudos com o exame positivo para três crianças. Outros três casos de suspeita também foram comunicados à direção. Por prudência e prevenção, as aulas foram suspensas por três dias na unidade da QNG AE 31 e só retornam nesta quinta-feira (4/10).

Ainda na última sexta (28/9), o Metrópoles publicou reportagem informando sobre três alunos da escola do Serviço Social do Comércio (Sesc-DF) em Ceilândia que estão com o vírus H1N1. As crianças têm 3 anos de idade e estudam na mesma turma.

Por meio de nota, a escola disse que seguirá orientação da Vigilância Sanitária e do Ministério da Saúde de manter as salas de aula abertas para melhor ventilação. Os hábitos de higiene também serão reforçados, com a oferta de álcool em gel para alunos e professores.

O Sesc informou que tem tomado todas as medidas necessárias para evitar a disseminação do vírus e o contágio de mais pessoas. “A Vigilância Sanitária destaca que não há motivos para suspensão das aulas. A recomendação é que a unidade permaneça aberta. O Sesc está monitorando a situação em tempo real e segue à disposição para auxiliar no que for possível”, reforçou.

A Secretaria de Saúde informou que ainda não foi notificada sobre os casos de H1N1 nas escolas.

Cuidados
Infectologista e gerente médica do Sabin vacinas, Ana Rosa dos Santos afirma que embora a vacina seja a principal forma de prevenção, alguns cuidados básicos de higiene são fundamentais para evitar a transmissão do vírus.

“Proteger com lenço de papel descartável a boca e nariz, ao tossir e espirrar, e lavar as mãos com água e sabão ajudam no controle. Além disso, usar álcool em gel após o contato com a boca, os olhos e nariz, bem como antes das refeições, é um hábito que também ajuda a dificultar o contágio e a propagação dos vírus. São ações simples [sobre as quais] que a escola pode orientar os funcionários, alunos, professores e também os pais”, explica.

Segundo ela, a indicação é que todas as pessoas, a partir dos 6 meses de idade, vacinem-se contra a gripe. Grupos de risco, como idosos, obesos, profissionais de saúde, gestantes, portadores de doenças crônicas (asma, cardíacas, diabetes) e indivíduos com sistema imune debilitado (imunodeprimidos) devem ter maior atenção à vacinação para evitar complicações mais graves.

“A imunização só é contraindicada para aqueles com histórico de reação alérgica grave comprovada às proteínas do ovo e da galinha ou a qualquer componente da vacina”, define.

Previna-se
Para evitar a transmissão da gripe e de outras doenças respiratórias, a Secretaria de Saúde recomenda:

  • Lavar as mãos com frequência, principalmente antes de comer;
  • Usar lenços descartáveis para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Evitar contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe;
  • Evitar aglomerações e locais fechados (procurar manter os ambientes arejados);
  • Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

Da Redação com informações do Metrópoles

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here