Startups apresentarão projetos para a saúde durante congresso em SP

Leitos hospitalares - Tânia Rêgo/Arquivo Agência Brasil

Por Redação

Entre os dias 7 e 9 de novembro, dez startups apresentarão seus projetos durante a sexta edição do Congresso Nacional de Hospitais Privados (Conahp), organizado pela Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), em São Paulo. Os projetos, selecionados com base ma eficiência para gerar soluções para o setor da saúde, integrarão uma nova ala do congresso e ganharão visibilidade.

Além de apresentar suas ideias ao público, as empresas participarão de um concurso. A melhor criação receberá prêmio de R$ 15 mil em serviços de aceleração, mentoria e coworking (compartilhamento de escritório) de uma startup voltada para o desenvolvimento de outras empresas como essa. As participantes do 6º Conahp têm até 20 funcionários, faturamento anual de até R$ 2 milhões e projetos relacionados à eficiência na área hospitalar.

Segundo a organização, o Conahp é o principal evento do setor hospitalar no Brasil e, em 2018, o tema “Eficiência: como o combate ao desperdício irá transformar o sistema de saúde” será debatido a partir das perspectivas assistencial, operacional e de governança. Neste ano são esperadas cerca de 2 mil pessoas, que terão acesso a 80 conferencistas e a mais de 30 horas de conteúdo.

“A inovação e tecnologia são elementos fundamentais no avanço da saúde. Dar luz a novas possibilidades é uma forma de contribuir para a evolução de um serviço fundamental para a sociedade, além de reconhecer nosso potencial criativo. A proposta está em linha com o tema central do congresso, que será sobre eficiência ”, disse a diretora executiva da Anahp, Martha Oliveira.

Entre as competidoras, estão a Wecancer, uma plataforma de monitoramento remoto para pacientes com câncer, com a missão de melhorar o cuidado, evitar hospitalizações e reduzir custos; o Predict, que é um sistema de Inteligência Artificial para suporte a diagnósticos de imagens médicas. O objetivo é garantir que todo paciente receba um diagnóstico correto e um tratamento adequado, eliminando o viés individual do médico; para gerir as escalas de trabalho há o Stargrid, que gera escalas automáticas por meio da inteligência artificial.

Competem ainda oTNH Health, um serviço de gestão de saúde populacional por meio do acompanhamento feito por chatbots (programas de computador que tentam simular um ser humano na conversação com as pessoas), com Inteligência Artificial. Faz um acompanhamento de saúde, levando informação e monitorando o estado dos indivíduos, identificando riscos e alertando a equipe de profissionais envolvida no projeto em tempo real; já o Virtual Monitor cuida dos  pacientes por biotelemetria.

Com o objetivo de aumentar a eficiência das internações hospitalares com redução de custos, média de permanência e melhoria na assistência ao paciente, aparece a Carefy, que é uma plataforma de gestão e acompanhamento de internações, com sinalização de não conformidades; já o Helper Software Soluções de Informática em Saúde visa a reduzir o desperdício na área e minimizar o número de mortes e agravamentos em quadros clínicos por erro médico, por meio de automação de leitos, protocolos assistenciais e auditoria digital em tempo real.

Também participam o Ineeds SMX System, para gestão de frotas e operações logísticas, operando a entrega de produtos da saúde por  meio de tecnologia Drone; o Onkos Diagnósticos Moleculares, que apresenta um exame molecular para nódulos de tireoide indeterminados, o que permite classificar o nódulo e evitar cirurgias desnecessárias; e o Optimus Intelligence Serviços em TI LTDA, usado para gerenciamento longitudinal transversal da Jornada do Paciente. Aumenta a capacidade de atendimento e melhora os resultados dos hospitais, por  meio de um atendimento sem atrasos, com mais qualidade e segurança para o paciente.

Da Redação com informações da Ag. Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here