Técnicos do Ministério da Saúde avançam na estratégia para a prevenção e controle das doenças arbovirais no Brasil

Nesta quinta-feira (16), técnicos e gestores das áreas da SVS e da Atenção à Saúde do Ministério da Saúde finalizaram a proposta de implementação da Estratégia de Gestão Integrada das Arboviroses. Foto: Reprodução SVS/MS

Por Fábio de Lima Marques

Técnicos e gestores das áreas de Vigilância e de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, finalizaram nesta quinta-feira (16), com apoio de representantes da Organização Pan Americana de Saúde (OPAS) de Washington (EUA), a proposta de implementação da Estratégia de Gestão Integrada das Arboviroses. O objetivo da reunião foi debater e propor calendário de atividades prioritárias entre o Ministério da Saúde e a OPAS para implantação dessa nova metodologia.

Para o diretor do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis (DEVIT), Júlio Croda, é preciso trazer inovação para lidar com o desafio das arbovirores: “temos que inovar nas estratégias para o controle do vetor, trabalhando com inteligência, trazendo novas tecnologias e buscando diferentes intervenções para prevenção das doenças relacionadas aos arbovírus”, disse.

Presente no evento, o diretor do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas (DAPES/SAS), Márcio Garcia, reforçou a importância da integralidade das ações das duas secretarias. “Precisamos avançar nas estratégias de vigilância e na atenção à saúde, trabalhando de forma integrada, construindo modelos de ações factíveis para os gestores que trabalham na ponta, pois sem isso não iremos avançar”, ressaltou.

As ações de trabalho integrado para controle das doenças arbovirais possuem um enfoque amplo que contemplam as principais linhas estratégicas: gestão, vigilância epidemiológica, laboratório, manejo integrado de vetores e assistência. Por meio desse tipo de trabalho transversal e integrado será possível atuar de forma mais efetiva nas ações de controle dos vetores, manejo clínico dos pacientes, educação em saúde com a população, além de aprimorar a vigilância de  casos graves e óbitos suspeitos pelas doenças relacionadas às arboviroses.

A proposta que está sendo trabalhada durante o evento visa a revisão e atualização das Diretrizes Nacionais para a Estratégia de Gestão Integrada das Arboviroses, onde será definida as novas diretrizes para o modelo de vigilância integrado, baseado em experiência de outros países. Para esse processo, o coordenador dos Programas Nacionais de Controle e Prevenção da Malária e das Doenças Transmitidas pelo Aedes (CGPNCMD), Rodrigo Said, lembrou que “a gestão tripartite será fundamental, pois o Ministério da Saúde contará fortemente com a apoio do CONASS e CONASEMS,  articulando a organização da rede de serviços de saúde, na sensibilização e capacitação de profissionais da Atenção Básica e na atuação participativa dos ACE e dos ACS na detecção precoce de casos, por exemplo”, disse.

Da Redação com informações do MS/SVS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here